IMPACTO DA COVID-19 NO PROCESSO DE APRENDIZADO DOS DISCENTES DO CURSO DE FISIOTERAPIA NO INTERIOR DE PERNAMBUCO

  • Wandson Rodrigues da Silva Faculdade de Integração do Sertão, Serra Talhada - PE, Brasil
  • Leonardo Henrique Monteiro de Carvalho Faculdade de Integração do Sertão, Serra Talhada - PE, Brasil
Palavras-chave: Covid-19, Ensino-aprendizagem, Fisioterapia

Resumo

Adequando-se a esse cenário pandêmico para que os discentes não sejam prejudicados quanto ao processo ensino-aprendizagem e sua saúde o Brasil aderiu medidas preventivas como distanciamento social, evitar aglomerações em locais públicos e privados. Medidas foram criadas para evitar o contágio pelo vírus diminuindo número de mortes. Foram implantados novos métodos de ensino e encontros via aplicativos que asseguram o distanciamento e o ensino-aprendizagem, seguindo com o semestre de forma regular. Avaliar o impacto das adaptações no processo de ensino-aprendizagem, em virtude do COVID-19 em acadêmicos de fisioterapia no interior de Pernambuco. Trata-se de um estudo do tipo transversal e de natureza quantitativa. A pesquisa foi realizada através de um questionário no município de Serra Talhada – PE. Essa pesquisa avaliou acadêmicos do curso de Fisioterapia do primeiro ao décimo período da FIS. Foram incluídos na presente pesquisa: acadêmicos do curso de Fisioterapia, do primeiro ao décimo período, devidamente matriculados no semestre corrente, ambos os sexos, com idades acima de 18 anos, onde esses dados foram transcritos para uma tabela de Microsoft Excel 2010. O presente estudo mostrou que a média de idade dos participantes era de 22,15 anos, onde 84,2 % relataram que a pandemia atrapalhou o rendimento, 80,7% possuem computador, 100% possuem celular, 36,8% utilizam ambos para estudar e que 75,4% acreditam que a pandemia irá atrapalhar sua formação. Pode ser perceber que o perfil socioeconômico dos alunos que participaram da pesquisa difere, notou-se alunos que não possuem notebook e que estudaram todo esse período apenas pelo celular. A grande maioria disse sim tanto para as dificuldades como para a sensação de que as aulas remotas irão atrapalhar a formação acadêmica. Os alunos também não tiverem um curso antes de entraram nas aulas remotas, o que gerou mais um agravante nas dificuldades. A mudança da aula presencial para a aula remota seja síncrona ou assíncrona trouxe grandes dificuldades. As aulas práticas que aconteceram de forma remotas estão sendo remarcadas, o que surge como um reforço as dificuldades que foram vivenciadas na aprendizagem durante as aulas remotas.

Publicado
2022-06-30
Como Citar
1.
Rodrigues da Silva W, Monteiro de Carvalho LH. IMPACTO DA COVID-19 NO PROCESSO DE APRENDIZADO DOS DISCENTES DO CURSO DE FISIOTERAPIA NO INTERIOR DE PERNAMBUCO. RMS [Internet]. 30º de junho de 2022 [citado 4º de outubro de 2022];4(2):178-84. Disponível em: https://revistamultisert1.websiteseguro.com/index.php/revista/article/view/413